Tudo que sabemos sobre “Dofus Cube”, ou “Dofus 3”, próximo título da Ankama Games

Publicado em 10/01/2018 - 03h37 por Máiron Vieira

Revelado em 2016, “Dofus Cube” é o próximo título da produtora francesa Ankama baseado no universo dos “Doze”, conhecido também como “Dofus 3”, mesmo não sendo uma continuação de Dofus, e que curiosamente no projeto inicial era chamado de “Krosmoz World”

O novo título que começou a ser produzido em outubro de 2016, por um novo time de desenvolvedores, vem para somar à grande lista de produtos produzidos pela empresa, que incluem jogos de tabuleiros, séries animadas e revistas em quadrinhos, baseados em seus títulos mais famosos, que são “Dofus” e “Wakfu”.

Segundo informações coletadas no blog Tot.Prod, onde Tod (Anthony Roux), produtor e fundador da Ankama, relata alguns processos do desenvolvimento e algumas ideias para o novo título, que podemos adiantar que não será um MMORPG, pelo menos como nós conhecemos até o momento, a ideia para o jogo veio, após a equipe responder à diversas perguntas, como “os jogadores preferem jogar com 1 personagem ou em grupo?”, “Viajar ao redor do mundo não é algo cansativo?”, “É mais divertido quando há drops regulares de objetos?” e recolher diversos comentários dos jogadores nos fóruns, pois o objetivo era criar algo totalmente diferente dos títulos MMOs já desenvolvidos pela empresa.

“Refazer um novo MMO com as mesmas regras que tivemos por 15 anos não é viável. Por isso, era necessário questionar e tentar entender a tendência… Especialmente porque esse tipo de desenvolvimento leva muito tempo e é melhor estar em fase com o que propomos.” Disse Tod (Anthony Roux), fundador da Ankama.

Dofus CUBE Características


Lore/Modo de jogo – O enredo será baseado na série animada Wakfu Temporada 3, disponível no Netflix, e que por consequência se passa várias décadas depois de “Dofus 2” (MMORPG). Uma das novidades que o título trará, é que finalmente os jogadores terão três modos de jogo em um só MMO, os quais estarão disponíveis diretamente dos ZAAP (Recurso de teleporte).

ZAAP 1 – Permitirá os jogadores lutarem de forma assíncrona para finalizar dungeons construídas por outros jogadores, as lutas deverão durar de 3 a 5 minutos, e talvez seja o modo onde certamente os jogadores passarão mais tempo para “farmar”.

ZAAP 2 – Permitirá lutas PvP 1 contra 1 nos dispositivos móveis, ou 2 contra 2/3 contra 3 em outros dispositivos.

ZAAP 3 – Permitirá teleportar para as 12 cidades do mundo, onde cada uma terá suas zonas com bosses, ideais para combates PvM.

Como pôde-se observar, nem todos os conteúdos estarão disponíveis para os jogadores mobile, segundo o produtor, “os jogadores serão capazes de fazer muitas pequenas lutas no dia a dia em seu smartphone, porém quando seu tempo livre permitir, embarcar em grandes aventuras em casa através do computador.” A expectativa é que a exploração do mundo, como visto nos outros MMOS da empresa, não estará disponível para jogadores de dispositivos móveis, pelo menos com áreas abertas.

Personagens/Gráficos – O título contará com personagens baseados em “Dofus”, e como sempre, com um estilo de desenho único, que são quase uma versão chibi dos personagens dos títulos anteriores, os quais terão dos equipamentos equipados, apenas o capacete e capa mostrados. Além disso, os personagens mudarão de “Skins” de acordo com a habilidade.

Os gráficos serão, como habitual, isométricos em 2D, pois segundo Tot, este estilo gráfico foi escolhido pela experiência da equipe no campo, além de envelhecer melhor que o 3D, e terão mapas com um enfoque em cubos.

Classes/Companheiros – Será possível mudar de classe a qualquer hora, sem necessidade de criar um novo personagem.

Os companheiros, como nos títulos anteriores, também estarão presentes, porém com uma mecânica totalmente diferente. Os personagens iniciarão os combates sozinhos e poderão, de acordo com encaminhar da batalha conjurar até 4 companheiros utilizando pontos de ação. Os companheiros poderão ainda evoluir, juntamente com o personagem e desbloquear novas habilidades.

Habilidades/Build – Para as características dos personagens a produtora planeja algo inovador baseado em “fragmentos”. Segundo Tot, a equipe buscou uma maneira de fazer com que aqueles milhares de drops, que nos títulos anteriores serviam apenas para ocupar espaço no banco, pudessem ser útil de alguma forma para os jogadores. Foi então, que eles pensaram neste sistema de fragmentos, onde até os drops de itens e equipamentos “mais inúteis” que sejam, poderão ser utilizados para evoluir feitiços, companheiros, monstros,etc.

Originalmente o título contará com 6 tipos de fragmentos baseados nos 6 Dofus primordiais. Ao aumentar de nível os jogadores receberão um pedaço de fragmento e um baú, cuja a qualidade das recompensas dependerão de vários fatores, entre eles o número de mortes naquele nível. Os fragmentos também poderão ser derrubados de monstros ou encontrados em masmorras, e a princípio não poderão ser trocados entre os jogadores.

Mundo/Dungeons – O mundo terá diversas áreas estanciadas, assim como em Incarnam em “Dofus 2”, com sistema de clima/dia/noite, e será dividido em 4 áreas, cada uma com cerca de 6 mini dungeons (1 sala), as quais se completadas, desbloquearão as dungeons normais que terão 5 salas, onde um dos 6 principais bosses estará presente, dependendo da área. Os mapas nas dungeons serão interativos e terão a presença de itens para quebrar e armadilhas.

Monetização – Será algo similar a presente em “Dofus Touch” (MMORPG Mobile F2P), com conteúdo e áreas totalmente livres para serem exploradas, porém com itens que podem acelerar a experiência no jogo.

Plataformas – O jogo será cross-plataforma, estará disponível para PC, Mac, tablet, mobile com os mesmos servidores.

Conteúdo/Combates – O jogo terá foco total nos combates, que serão em turno similares a “Final Fantasy Tatics”, com mapas dinâmicos com até 54 células, e conteúdos PvP/PVM balanceados que se adaptarão ao nível do personagem. Cada combate terá um medidor de tempo total de 2 minutos, o qual se ultrapassado dará penalidades aos jogadores.

Diferente de “Dofus”, onde os jogadores podem ver todos os monstros do grupo, “Dofus Cube” promete surpreender, pois os monstros poderão se esconder em diversos objetos ou locais. Além disso, a medida que o jogador for derrotando um tipo de monstro, novos monstros raros ou épicos daquela raça aparecerão. Segundo Tot, “A idéia é ter uma série de conquistas por região e oferecer batalhas que estarão relacionadas ao que você conseguiu na área. Assim, o lado “farm” do jogo é valorizado e motivado, uma vez que cada luta permitirá avançar em suas conquistas em cada zona.”

Considerações Finais

“Dofus CUBE”, será um MMORPG cross-plataforma, porém com conteúdo limitados nos dispositivos móveis, focado em combates, divididos em três modos de jogo, com mapas dinâmicos repletos de surpresas. O mundo, dessa vez será menos extenso com ambientação com enfoque em cubos, e girará em torno de fragmentos, estes poderão ser coletados de diversas formas e servirão para melhorar diversos aspectos dos personagens, inclusive evoluindo feitiços com diferentes tipos de elementos. As classes dos personagens poderão ser trocadas a qualquer momento, oferecendo diversas experiências de combates em um só personagem.

Uma das grandes novidades, será a possibilidade dos jogadores construírem suas próprias masmorras, para que outros jogadores tentem completá-las afim de receber recompensas.

O título contará ainda com conteúdo presentes nos outros MMOs da empresa, como companheiros para auxiliar no combate e bolsas, como áreas privativas sociais para cada jogador. Será possível ativar um bot próprio do jogo para farmar recursos, o título por sua vez não contará com combates automáticos. As transações entre os jogadores, será limitada a uma quota diária e entre membros de guildas.

No mais, a ideia do MMORPG é realmente incrível e única, com mecânicas inovadoras e criativas que prometem agradar os amantes de combates baseados em turnos. Seria esse, o verdadeiro “Dofus Mobile”?

Não encontramos informações sobre uma previsão de lançamento, a expectativa é que seja lançado até o final de 2018.

Agradecimentos ao usuário @juliocamilacosta por recomendar o conteúdo.

Página para referência e mais informações: Tot-Prod.blog

Leia mais sobre: