Criador do aclamado IT Takes Two diz que prefere “levar um tiro no joelho” a incluir NFTs em seus jogos

Publicado em 27/12/2021 - 11h32 por Yohan Bravo

Que os jogos NFT são a “onda do momento” na indústria dos games, todos somos obrigados a concordar. Porém, o fato é que o assunto continua dividindo opiniões e gerando uma grande divisão entre players e membros da indústria. Nesse sentido, gostaria de chamar a sua atenção para uma declaração feita por Josef Fares, criador de It Take Two, que acabou revelando uma grande aversão à inclusão de NFTs nos jogos… bora conferir?

Diminua o lag em jogos online de forma simples
  • Experimente gratuitamente o ExitLag, programa criado de jogadores para jogadores com o intuito de diminuir o lag e liberar as zonas congestionadas de sua conexão, oferecendo um gameplay sem os temidos travamentos de lentidões. Clique aqui e experimente!

Ainda colhendo as glórias inerentes ao sucesso do aclamado It Takes Two (vencedor do prêmio de Melhor Jogo do Ano na cerimônia do The Game Awards), Josef Fares deu uma entrevista para o The Washington Post e falou sobre diversos assuntos relacionados à indústria de jogos eletrônicos. Porém, foi quando o assunto “jogos NFT” veio à tona que ele acabou chamando mais atenção. Em linhas gerais, o dev criticou a ideia de forma dura e chegou a afirmar que prefere “levar um tiro no joelho” a adicionar NFTs aos seus jogos. Segundo ele, deixar de lado o “teor artístico” dos games para focar em ganhar dinheiro é algo que ele não pode aceitar.

Não à toa, as críticas do dev também foram direcionadas aos projetos GaaS (Games-as-a-Service) pelo mesmo motivo. Em outras palavras, Josef Fares é um defensor da ideia de que jogos devem ser vistos como obras de arte e, por consequência, qualquer ideia que acabe prejudicando essa visão é, segundo ele, uma verdadeira afronta à qualidade dos produtos finais. Resumindo, temos aqui mais uma grande figura da indústria se posicionando de forma contrária aos jogos NFT. Aliás, o dev resolveu focar em um aspecto interessante do debate, que é a qualidade questionável dos jogos do segmento. Enfim, as polêmicas continuam…