Shattered Skies

Publicado em 22/08/2016 - 10h20 por Márlon Vieira

“Shattered Skies” é um shooter MMO sandbox com alguns elementos de RPG desenvolvido e distribuído pela Free Reign Entertainment. O jogo ocorre em um ambiente completamente pós-apocalíptico, causado por uma invasão alienígena. Existem Aliens e outros jogadores espalhados pelo ambiente como maiores ameaças. O maior objetivo do título está em sobreviver, buscando comidas, armas, munição, mochilas ou roupas. O jogo ainda permite a sobrevivência sozinha ou em um grupo, formando uma equipe dentro do jogo.

“Shattered Skies” segue o básico e simples da maioria dos jogos sandbox de sobrevivência. Temos um gigantesco mapa, dividido em três partes principais: as florestas, que englobam boa parte do mapa; a estrada, onde estão alguns carros destruídos e muitos itens espalhados, principalmente armas; e as habitações, domicílios e residências, que são lugares fechados, com uma quantidade boa de itens, porém, onde está localizada a maior parte dos inimigos.

Essa divisão em três partes do mapa é competente. Fica claro o objetivo de cada uma parte para o jogador desde o início. Quando precisa de itens, o jogador irá diretamente para estrada. Quando precisa ganhar XP, irá para as habitações. A floresta acaba sendo uma ligação dos dois cantos e também uma maior exploração do ambiente do jogo. O Level Design acaba sendo um dos grandes responsáveis por essa clareza dos objetivos de cada parte, pois os itens e a aparição dos inimigos são muito bem distribuídos conforme a necessidade que o jogo encontrará. Como falado anteriormente, o mapa é competente, porém simples e nada inovador, faltou um pouco de mais vontade em arriscar, para entregar um mapa com opções mais interessantes.

A fluidez e simplicidade da mecânica é um dos grandes feitos do jogo

 

A mecânica que o jogo apresenta é simples e básica. O personagem pode correr, andar, agachar, deitar, e andar deitado, dar socos, atirar e interagir com itens. A mecânica, mesmo sendo simples, é extremamente competente e fluída. Essa mesma fluidez que é uma das melhores características do jogo. A transição da personagem, mudando da posição de deitar para levantar, é rápida e bem realista. A movimentação do personagem é excelente e não perde a fluidez em nenhum momento. O sistema de atirar é bom, porém é extremamente fácil, pois a mira e a arma não sofrem com a interferência de ventos ou da movimentação da personagem. Jogadores iniciantes em shooter, principalmente na visão em primeira pessoa do jogo, não terão dificuldades com o sistema de tiros do jogo.

“Shattered Skies” apresenta a possibilidade de jogar em primeira ou terceira pessoa. Ambas funcionam bem, são fluidas e não atrapalham. A escolha aqui acaba sendo mais pelo gosto do jogador em estar em primeira ou terceira pessoa.

Mesmo não sendo o principal foco do jogo, a customização dos personagens peca muito pela simplicidade. Ele disponibilizada bonitos cabelos e vestuários, porém com um número bem baixo de opções, que acaba deixando tudo muito parecido, mesmo desbloqueando mais durante o andamento do jogo.

sd2

 

Na tentativa de fazer algo maior, Shattered Skies entrega gráficos regulares e estranhos

 

Os gráficos são falhos. Na tentativa de colocar texturas mais realistas, acaba deixando um pouco estranho em relação ao ambiente, além de muitos objetos parecerem estar sobrando no ambiente, como se não encaixasse bem ali. Para não deixar só críticas negativas sobre os gráficos, a profundidade é bem bonita, com cenários vivos e bem construindo na parte noturna e diurna.

ss_7bd19b41c2786bdeea621cb28c9468457aaace98.1920x1080

Enquanto os gráficos desagradam um pouco, a iluminação do jogo é fantástica. A imersão causada pela iluminação de dia ou de noite no jogo é muito boa. Conseguem criar uma iluminação solar bem interessante durante o dia, bem claro em alguns pontos, e um pouco mais escuro em outros pontos que tem sombras presentes, como a floresta. Já na parte da noite, temos uma iluminação da lua, que é possível enxergar tranquilamente o mapa, mesmo estando mais escuro o ambiente. Partes como a da floresta conseguem ficar um pouco mais macabras, pela escuridão causada, porém, ainda assim, é tudo bem visível e muito difícil o jogador se perder ou não saber onde está.

 

Quando tudo poderia ser ruim, o jogo entrega um destaque sonoro fantástico

 

Porém, o maior destaque técnico vai para a imersão sonora. O trabalho sonoro feito em “Shattered Skies” é muito detalhista. Começamos com uma incrível distribuição dos efeitos sonoros do ambiente. Escutar o vento batendo ou o canto dos pássaros deixam os jogadores cada vez mais imersivo ao jogo, além de deixar o ambiente mais vivo. Não podemos esquecer que a distribuição desses efeitos é extremamente competente, e funcionam muito bem ao ambiente do jogo.

Outro destaque sonoro vai para a estratégia utilizada pelos desenvolvedores, para informar de onde o som está vindo. Quando estamos chegando próximo a um tiroteio ou ataque de aliens, o som de um dos lados do fone irá aumentar, conforme o lado que vem o som, já outro lado do fone irá diminuir. Mesmo não sendo tão inovador, isso é uma estratégia sonora que funciona perfeitamente dentro do ambiente e guia muito bem o jogador a fugir ou encarar os perigos.

O destaque negativo vai para a falta de interação com os objetos do mapa. Tirando os itens como armas, kits médicos ou comidas, os outros objetos não têm nenhum tipo de interação. Não podemos subir pelas escadas, destruir árvores ou pedras, dar um soco e tiro em algo e deixar uma marca ali ou quebrar o vidro de um carro. O máximo que acontece é um efeito de destruição, com algumas partículas saindo. Essa escolha de tirar a interação com alguns objetos do mapa acaba deixando o jogo menos vivo e tira bastante a liberdade do jogador.

 

Buscando um elemento de RPG, o jogo entrega um interessante sistema de level

 

Os elementos de RPG ocorrem pelo sistema de nível por XP que existe no jogo. Podemos avançar de nível conforme matamos inimigos e pegamos itens. Isso é extremamente interessante para criar uma disputa interna entre os jogadores e premiar os que se dedicam mais. Porém, esse sistema de nível favorece muito os fortes, pois conforme o nível evolui, o jogo se torna mais fácil, porque o combate da personagem fica mais forte. Não existe um grande equilíbrio entre jogadores mais fortes e mais fracos. É extremamente complicado evoluir inicialmente.

O menu e a HUD têm uma organização impecável e tende bastante a ajudar o jogador a não se perder.

O jogo tem uma dificuldade bem alta, pela dificuldade de localizar corretamente a posição dos outros jogadores no mapa e também pela aparição sempre bem repentina dos inimigos. Quando menos esperamos eles renascem no mapa.

Além disso, há um incomodo grande quando precisa fazer o spawn, quando o personagem morre, ou iniciar o jogo. Ambos demoram um pouco para acontecer, deixando bem entediante ficar esperando.

ss_3fcb2f1c82134d0798e1234b13af31a08eba8521.1920x1080

[wp-review]
  • Greymane

    To gostando de ver esse novo estilo de análise, cobre praticamente todos os aspectos do jogo apontando os pontos positivos e negativos.
    Quanto ao jogo, comprei, mas pedi reembolso. Não entendi absolutamente nada o que era para fazer, fiquei rodando o mapa por 30 min sem encontrar nada de útil e muito menos outros jogadores, e aliens? Nem sabia que tinha.

  • Alex SuBxZeRo

    na moral mesmo, os desenvolvedores de War Inc, WarZ( Infestation), Romero’s Aftermatch, mais um vez faz um jogo copiado dos outros? meu deus, esse povo utiliza a mesma base(War inc), em todos os jogos, graficos, perssonagens, movimentaçao, cenario, tenssoo.