Antes um jogo centrado na história dos EUA, New World teve que mudar por que era supostamente racista

Publicado em 05/02/2021 - 04h37 por Márlon Vieira

Em uma nova publicação polêmica do Bloomberg intitulada de “A Amazon pode fazer quase tudo – exceto um bom game” (em tradução livre), os autores compartilham as observações de quase 30 funcionários e ex-funcionários da Amazon Game Studios, que aceitaram discorrer, anonimamente, sobre a situação atual da empresa e suas decisões. Como o título sugere, a conclusão dos autores é que realmente a Amazon Game Studios não sabe fazer jogo — a empresa já soma 2 grandes fracassos milionários, para não citar outros. 

Ao que parece, segundo a matéria, esses fracassos podem ser atribuídos à Mike Frazzini, Vice Presidente para games da Amazon, e que ajudou a fundar o estúdio.  “Mike Frazzini nunca tinha feito um game quando ajudou a iniciar a Amazon Game Studios. Para uma empresa que domina inúmeras áreas de varejo, eletrônicos de consumo e computação empresarial, os vários fracassos nos jogos mostram um reino que pode ser imune à filosofia de negócios distinta da Amazon”, diz a publicação assinada por Jason Schreier.

De acordo com a publicação, Frazzini adquiriu estúdios estabelecidos e levou a empresa a gastar quase US$ 1 bilhão na aquisição do site de streaming Twitch. Ele também recrutou alguns dos maiores nomes da indústria de games, incluindo criadores das franquias EverQuest e Portal, bem como executivos da Electronic Arts e outras grandes desenvolvedoras. Apesar disso, vários funcionários atuais e ex-funcionários do estúdio afirmam que Frazzini ignorou muitos dos conselhos desses executivos contratados por ele. 

Por exemplo, executivos sob a chefia de Frazzini inicialmente “rejeitaram as acusações de que New World, um jogo da Amazon que pediria aos jogadores para colonizar uma terra mítica e assassinar habitantes que têm uma semelhança impressionante com os nativos americanos, era racista”. Eles resolveram mudar a ambientação do jogo depois que a Amazon contratou um consultor que descobriu que a representação era realmente ofensiva e poderia trazer problemas para a empresa no futuro.

Foi assim que New World deixou de ser um título quase histórico para se tornar um MMORPG de fantasia típico. A “nova versão” é situada na terra mítica de Aeternum, cheia de criaturas mágicas e fantasia. O game, anteriormente com lançamento planejado para o ano passado, agora tem previsão para chegar nesta primavera (nos Estados Unidos). Contudo, de acordo com a página do jogo no site da Amazon.com, New World estará disponível para PC a partir do dia 25 de maio (a data não foi confirmada oficialmente). 

Para as últimas notícias sobre o game, visite esta página.