MIR4, o MMORPG mais popular do momento, já teve mais de 7,3 milhões de contas banidas ou restringidas

Publicado em 28/12/2021 - 12h20 por Márlon Vieira

Considerado o MMORPG mais jogado atualmente, com mais de 1,3 milhões de jogadores conectados ao game de forma simultânea, MIR4 também chama a atenção pelo seu número assustado de contas banidas ou restringidas. De acordo com dados liberados pelos produtores do game, o título já soma mais de 7,3 milhões de banimentos.  No mês passado, esse número era de 5,6 milhões. Ou seja, em pouco tempo, cerca de 1,7 milhões de novas contas foram banidas ou restringidas no game. 

Diminua o lag em jogos online de forma simples
  • Experimente gratuitamente o ExitLag, programa criado de jogadores para jogadores com o intuito de diminuir o lag e liberar as zonas congestionadas de sua conexão, oferecendo um gameplay sem os temidos travamentos de lentidões. Clique aqui e experimente!

Por meio de um pequeno comunicado, a desenvolvedora Wemade Entertainment confirmou o número de jogadores banidos até o momento. Segundo os dados, como já era de se esperar, a maioria dos casos têm relação com a utilização de softwares não autorizados e violação às políticas de utilização do game. Isto é, aparentemente, os devs têm trabalhado duro para tornar o ambiente do game mais “saudável” para os seus jogadores, que aliás, tem aumentado cada vez mais com o passar do tempo. Isto é, apesar das críticas, o título vem ganhando popularidade. 

Logicamente, apesar de o número indicar que a Wemade está trabalhando duro para garantir uma experiência de qualidade para os players honestos, ele também aciona um grande alerta. Afinal, se um jogo tem tantos bots, hackers, cheaters, etc., a tendência é ele acabar perdendo popularidade junto aos jogadores reais. E esse é um alerta que pode ser estendido para todos os jogos NFT, pois se as pessoa já usavam recursos ilegais em jogos que não davam dinheiro algum, imagine o que elas vão fazer em jogos que podem gerar uma boa grana como recompensa. Enfim, vale a pena a gente ficar de olho em notícias desse tipo a partir de agora.