Esses Foram os MMOs que deram adeus em 2018 e merecem 1 minuto de silêncio 

Publicado em 31/12/2018 - 22h48 por Máiron Vieira

O ano de 2018 realmente não foi fácil para desenvolvedores de MMOs, e principalmente MMORPGs. Enquanto muitos títulos ainda batalham para continuar online, vários tiveram que dar à deus este ano, confira quais foram e nos diga caso tenhamos esquecido de algum.

Não se esqueça de relembrar alguns dos títulos que tiveram os serviços encerrados em 2017.

MMORPG –

Link Realms (2011 a 2018)

LinkRealms” era um MMORPG 2D isométrico indie com características hardcore que lembrava ser uma mistura de “Runescape” com “Tibia”.

O título levou anos para ser finalmente lançado pois por muito tempo foi desenvolvido por apenas uma pessoa. Apesar de recursos interessantes como servidores com PvP aberto, o game não conseguiu atrair uma quantidade significativa e logo teve de ser encerrado.

Perpetum (2010 a 2018)

Perpetuum” era um MMO sci-fi mundo persistente dirigido por um jogador, ambientado em um cenário de ficção científica, onde jogadores pilotavam robôs personalizáveis ​​em várias ilhas conectadas por vários portais de teletransporte.

Os jogadores podiam participar de várias atividades dentro do jogo, incluindo mineração, logística, missões, fabricação, comércio, caça e combate de artefatos (jogador versus ambiente e jogador versus jogador). A gama de atividades disponíveis era facilitada por um sistema de avanço de personagem baseado no acúmulo de pontos de extensão (EP) em tempo real, mesmo quando não estivesse logado.

WildStar (2014 a 2018)

WildStar” era um MMORPG incrível com características únicas, com destaque as diversas classes. Contudo, apesar de gratuito, o título chegou a receber uma boa quantidade de jogadores no lançamento, mas não vingou.

O anúncio do encerramento dos servidores veio também com o encerramento de sua produtora Carbine Studios.

MU Ignition

MU Ignition” era a versão em browser do clássico “MU”, e, portanto, prometia oferecer uma experiência similar ao que originou a franquia.

Contudo, os aspectos pay-to-win característicos de títulos do gênero desenvolvidos para navegadores, com salve raras exceções, logo foi mostrado e desagradou grande parte dos fãs no ocidente.

Devillian (2015 a 2018)

Devillian” era um MMORPG Action Hack N Slash da Bluehole, estúdio renomado responsável pelo desenvolvimento de “TERA Online” e “PUBG”.

O título oferecia uma experiência isométrica com quatro classes jogáveis, simples, porém que possibilitavam diversas builds. A sua característica MMO se dava pelo mundo persistente, além de combates PvP 20vs20 e sistemas sociais.

MOBA –

Hyper Universe PC

Depois de apenas um ano de serviço, incluindo o lançamento na Coreia do Sul, a Nexon anunciou a descontinuação dos serviços da versão para PC de “Hyper Universe“.

Hyper Universe” é um título MOBA com elementos únicos, incluindo gráfico com visão side-scrolling e a possiblidade de controlar personagens icônicos como os Power Rangers.

Golden Rush

Como data marcada para ser encerrado completamente em 27 de dezembro de 2018, “Golden Rush” oferecia uma experiência MOBA peculiar, onde os jogadores escolhiam até 6 classes para batalhar pelo tesouro.

No título não havia lines ou nexus, quatro times  lutavam contra monstros, dragões e outros aventureiros pelo tesouro e artefatos afim de se tornarem uma das lendas.

LawBreakers (2017 a 2018)

Lançado originalmente como buy-to-play, “LawBreakers” era um shooter baseado na gravidade e, portanto, onde jogadores poderiam saltar para surpreender seus adversários.

Desenvolvido pela Boss Key Games, o título foi encerrado com o anuncio do encerramento do estúdio, que foi finalmente quando o estúdio decidiu deixar o título gratuito no Steam.

Batlle Royale –

SOS Battle Royale

Em “SOS Battle Royale” 32 jogadores se enfrentavam na pequena ilha paradisíaca de La Cuna Island para serem os únicos sobreviventes.

O título oferecia mais de 100 roupas, uma grande quantidade de armas e cenários paradisíacos.

Until None (2018)

Until None” era um shooter futurista em formato Battle Royale, onde combinava diversos recursos tecnológicos.

Os jogadores poderiam adquirir armas, armaduras ou itens especiais, como pacotes de jatos ou armadilhas. Escalar paredes ou objetos usando luvas magnetizadas, arremessar a arena em um pacote de jato e interagir com um ambiente que inclui torres, recipientes explosivos, gases nocivos e muito mais, enquanto batalhavam pela vida.

Shooter –

Gigantic (2017 a 2018)

Lançado em 20 de julho de 2017, originalmente para Windows 10, o que para muitos foi a causa para a baixa popularidade, e posteriormente para Xbox e Steam, o título enfrentou dificuldades para entrar no mercado e concorrer com jogos como “Overwatch“.

Com gráficos coloridos e com um estilo único, em “Gigantic” os jogadores se dividiam em times e se enfrentavam em combates repletos de ação, com diversos heróis com habilidades únicas disponíveis.

Just Survive (2015 a 2018)

Desenvolvido pela Daybreak Game, “Just Survive” era o modo original do Battle Royale H1z1 e oferecia uma experiência de sobrevivência em mundo aberto.

No título os jogadores buscavam recursos, afim de craftar itens e construir bases com proteções contra zumbis e outros humanos perigosos.

Battle Carnival (2016 a 2018)

Battle Carnival” era um FPS de trabalho em equipe com personagens carismáticos disponível gratuitamente no Steam.

Cada personagem jogável tinha habilidades diferentes para situações diferentes, o jogo ainda exigia grande habilidade em equipe e trabalho em equipe e tinha a fama de não ser pay-to-win.

A.V.A (2007 a 2018)

Alliance Valiant Arms” era um MMOFPS sem precedentes desenvolvido pela EnMasse Entertainment que teve os serviços desativados em junho de 2018.

O título oferecia diversos modos de jogo, além de gráficos que chamavam a atenção.

Metro Conflict (2017 a 2018)

Metro Conflict” é um shooter futurístico com aspectos únicos que foi encerrado duas vezes, a primeira pelas mãos da publisher OGPlanet e a segunda pela Red Duck.

No título, os jogadores participavam de combates repletos de recursos tecnológicos, além de diversos modos de jogo únicos.